SAÚDE
BELEZA
TERAPIAS ALTERNATIVAS
GASTRONOMIA
AUTOMOTIVO E INDUSTRIAL
CRIATIVIDADE E ARTE
GESTÃO
TECNOLOGIA E INFORMÁTICA
GRADUAÇÃO E PÓS GRADUAÇÃO
CONHEÇA MAIS SOBRE A DOULA

DOULA: DO APOIO ANCESTRAL À UMA NOVA PROFISSÃO

 

Desde o início da nossa existência, o nascimento é um dos rituais mais marcantes, naturais e necessários para a nossa espécie humana. Nascer é fisiológico, além disso é um marco na formação de uma nova família, será um momento muito importante emocionalmente.

Eis que surge uma nova profissional nas últimas décadas, preparada para ajudar e apoiar quem deseja contratar os seus serviços: a doula. 

Antigamente as mulheres pariam seus bebês em casa, não havia tantas tecnologias, mas elas poderiam contar com uma rede de apoio, geralmente formada por outras mulheres, mães, avós, parentes, amigas, ou vizinhas, um apoio que quase não encontramos hoje. 

Atualmente com aproximadamente 95% dos nascimentos acontecendo nos hospitais, muitas mulheres começaram a ter apenas a equipe assistência como “apoio”, com as altas taxas de cesáreas e de violências obstétrica no Brasil, ninguém mais fala sobre a experiência da dor do parto, da importância de ter alguém apoiando emocionalmente durante o trabalho de parto, de como um parto pode e deve ser um momento respeitoso e empoderador, que uma cesárea necessária pode sim ser feita com muito acolhimento e respeito, da importância da amamentação logo após o nascimento.

Evidências científicas mostram que, uma experiência positiva no nascimento favorece e causa impactos positivos na saúde e bem-estar das mulheres e bebês.¹

Com o aumento de informações, promoção de campanhas, o desejo por partos mais naturais e a procura por um atendimento humanizado, mulheres e famílias buscam o apoio desta profissional que oferece um suporte contínuo e individualizado, principalmente na preparação desta família que busca uma experiência de nascimento de forma respeitosa. 

 

O QUE É DOULA?

 

Foi por acaso que Klaus e Kennel, dois médicos pediatras dos EUA, descobriram essa nova personagem. Quando estavam realizando um estudo na Guatemala, junto a equipe de pesquisa havia uma estudante de medicina chamada Michele, que falava espanhol e por isto era quem recebia as mulheres que chegavam em trabalho de parto no hospital, além de explicar sobre a pesquisa e coletar as informações. Michele resolveu permanecer ao lado de cada uma das parturientes até o bebê nascer, sem exercer função técnica alguma, apenas as confortando e encorajando. Klaus e Kennell se surpreenderam ao perceber que os partos em que ela havia estado foram muito mais rápidos e com menos intervenções e complicações.

Ficaram tão curiosos com o resultado que treinaram mais 3 mulheres da comunidade para exercer a mesma função da Michele, de apoio emocional e encorajamento e as chamaram de doulas. Assim, em 1986 ², publicaram o primeiro estudo sobre os efeitos do apoio contínuo às mulheres durante o trabalho de parto.

A palavra doula é de origem grega e significa “mulher que serve”, foi anteriormente utilizada pela médica antropóloga Danna Rafael para nomear mulheres que apoiavam outras mulheres no pós-parto, o que hoje chamamos de DOULAS PÓS-PARTO. 

Estudos científicos mostram o impacto que uma doula pode causar, diminuindo as taxas de intervenções e complicações obstétricas, resultando numa experiência mais positiva para esta nova família, favorecendo o vínculo mãe e bebê

Segundo a Classificação Brasileira de Ocupações, Doula é uma profissional que visa prestar suporte contínuo à gestante no ciclo gravídico-puerperal, favorecendo a evolução do parto e bem-estar da gestante. É requerido um curso básico de qualificação profissional de até 200 horas. Não sendo necessária experiência profissional para o desempenho da ocupação.

Atualmente é uma profissional capacitada e treinada a oferecer apoio contínuo, suporte físico e emocional, além de informações atualizadas e baseadas em evidências científicas auxiliando às mulheres e famílias que contratam seus serviços durante a gestação, trabalho de parto ou pós-parto.

Nos últimos anos a Organização Mundial da Saúde e o Ministério da Saúde recomendam a presença, reconhecendo os benefícios e a importância da atuação da doula no cenário obstétrico.

 

Curso de doula

 

QUAIS OS BENEFÍCIOS DE SE TER UMA DOULA?

 

Em 2013³ publicaram uma revisão da literatura sobre 26 estudos avaliando 15.858 mulheres em trabalho de parto, em 17 países do mundo, incluindo o Brasil. Em relação ao suporte contínuo ofertado por doulas, concluiu que:

  • Trabalhos de partos mais curtos.
  • Menos cesáreas desnecessárias.
  • Experiência mais positiva e satisfatória de parto.
  • Partos menos dolorosos.
  • Menor risco de parto com fórceps ou vácuo.
  • Bebês com menos dificuldades respiratórias no nascimento.
  • Menor risco de depressão pós-parto.
  • Início mais precoce da amamentação.

 

“Para mudar o mundo, é preciso primeiro mudar a forma de nascer” 

Michel Odent

 

O QUE A DOULA FAZ?

 

Durante a gestação, a doula oferece atendimentos voltados a diversos temas, como: preparação emocional e informações sobre o trabalho de parto e métodos não-farmacológicos de alívio da dor, auxilia na elaboração dos planos de parto, cuidados com o pós-parto ou aconselhamento para a amamentação.

No parto, para a família que deseja um acompanhamento específico para o trabalho de parto e nascimento, a doula oferece apoio emocional, encorajando e acolhendo a pessoa em trabalho de parto, e também oferece conforto físico através de métodos não-farmacológicos, de alívio da dor, como massagens, respiração, hidroterapia, movimentos e posições que favorecem e facilitam, e muito outros

E no pós-parto, oferece acolhimento, apoio, aconselhamento à amamentação, dicas de cuidados com o recém-nascido.

 

E O QUE A DOULA NÃO FAZ?

 

Muitas pessoas ainda confundem, seja pelo desconhecimento ou pelo preconceito, têm uma visão errada do papel dessa profissional.

Então é muito importante saber que:

  • Doula não é parteira;
  • Não faz qualquer procedimento clínico de assistência ao parto, não afere pressão arterial, não faz exame de toque, nem diagnóstico.
  • Não interfere diretamente na conduta da equipe.
  • Não substitui nenhum profissional da equipe de assistência.
  • Não substitui o acompanhante afetivo e já previsto na Lei Federal 11.108/2005.
  • Pai não é doula, pai é pai.

#doulanãofazpartodoulafazPARTE

 

QUEM PODE FAZER O CURSO DE DOULA? 

 

Qualquer pessoa que tenha interesse na área, que tenha mais de 18 anos e ensino fundamental pode fazer o curso de doula.

O perfil de pessoas que entram para essa área pode ser muito variado, geralmente são mulheres, das mais variadas idades, mães ou não, que já passaram por alguma experiência ou tiveram algum contato, pode ser a primeira profissão, ou já estar em alguma área relacionada a cuidados e saúde como: cuidador de idosos, enfermagem, psicologia, fisioterapia, instrutora de Yoga, medicina, etc. Não é necessário ser da área da saúde. 

Doula está mais para uma profissional de humanas do que da área da saúde, é muito comum doulas buscarem ou já possuírem conhecimentos extras, como por exemplo: 

  • nas práticas integrativas, com o uso de aromaterapia, cromoterapia;
  • ou na área da fisiologia, através de técnicas do Spinning Babies
  • ou formas de prestar apoio emocional e mental, com as técnicas de Hipnobirting.

Formações extras também podem agregar valor e experiência aos serviços da doula.

 

DOULA USA JALECO? PRECISA VESTIR ROUPA BRANCA?

 

Por não atuar diretamente na assistência ao parto, tão pouco praticar intervenções clínicas, não há necessidade da doula utilizar jaleco e nem se vestir de branco. Quando o atendimento é iniciado na casa da cliente a doula utilizará uma roupa confortável, que lhe permita movimentação e facilitará o seu trabalho. No hospital quando entrar no centro obstétrico irá utilizar o mesmo pijama cirúrgico e paramentação que o(a) acompanhante utiliza. 

 

HOMENS PODEM SER DOULAS?

 

A palavra doula por si só já é de origem feminina. Homens, por todo o contexto histórico de uma sociedade que oprime as mulheres, podem gerar desconforto por estar num ambiente intimamente feminino.  

No Brasil temos homens formados e que atuam ou já atuaram doulando. É um assunto bem polêmico, que divide opiniões e gera reflexões.

A principal delas é: A mulher quer, se sente bem, está confortável, com a ideia de um homem a doulando? Doulas são agentes de incentivo ao empoderamento feminino, levando as mulheres a questionar o modelo de assistência e a lutar pelo protagonismo não só no parto como na sua construção como mãe.

A pessoa que deseja prestar atendimento como doula precisa estar ciente que a atuação deve sempre ser focada na mulher, como um sujeito que tem autonomia, a pessoa que deverá ser o centro do atendimento

 

QUAIS OS LOCAIS E FORMAS DE ATENDIMENTO?

  • Domicílio
  • Hospitais e maternidades
  • Casas de parto
  • Espaço próprio
  • Espaços coletivos e parcerias
  • Grupos de apoio
  • Atendimento remoto - online 

 

QUANTO TEMPO DURA UM CURSO DE DOULA?

 

Hoje a formação de doulas é realizada através de cursos livres, que podem variar a carga horária dependendo da grade curricular, entre 60 a 160 horas.

Aqui no Instituto Eleven o curso de doulas é profissionalizante. Nós montamos uma grade curricular que oferece uma formação com um conteúdo rico em informações, proporcionando aulas teóricas e práticas, presencial ou online, totalizando 240 horas de muito aprendizado, que poderá ser concluído em aproximadamente 4 meses.

 

QUANTO CUSTA O SERVIÇO DE UMA DOULA?

Os valores podem variar conforme o serviço a ser oferecido. Algumas associações já indicam um piso e teto salarial, então os valores podem variar de estado para estado. Cada cidade tem uma realidade socioeconômica, oferta e procura de serviços, custo de formação, localidade e a disponibilidade.

Uma consultoria pode custar em média R$100,00/hora. 

Já a disponibilidade para doulagem de parto pode custar um valor único, que inclui todas as despesas, mão-de-obra e considerando uma média de horas trabalhadas pela doula e o valor de suaback-up (doula reserva). A maioria das doulas oferecem pacotes de serviços, que incluem atendimentos durante a gestação, parto e pós-parto, os valores podem variar entre R$800,00 a R$2.500,00 por contrato fechado.

 

Como ser uma doula

 

QUANDO CONTRATAR UMA DOULA?

 

Quando a mulher quiser e se sentir confortável, pode ser no início da gestação ou no terceiro trimestre, pode contratar apenas o serviço pós-parto. Juntas, cliente e doula, vão ajustar e chegar a um acordo com relação a quantidade de atendimentos, datas, prazos, limites, disponibilidade da agenda e por fim assinar o contrato.

 

DOULA EMPREENDEDORA E O MERCADO DE TRABALHO

 

Nesta transição de doula “serva” para doula profissional, estamos caminhando para um olhar mais profissional da doula, com isso já está em andamento um projeto federal de regulamentação da profissão e a liberação de entrada nos hospitais, maternidades e casas de parto de todo o país.

Além de ser uma profissional autônoma, contratada diretamente pela mulher, a doula pode participar de voluntariados ou de projetos de inclusão e contratação de doulas pelos serviços públicos.

 

Embora a maior parte do serviço possa ser individual, contudo, surgem coletivos de doulas e parcerias com outros profissionais, que trabalham em equipe ou escala de plantão, oferecendo mais opções de atendimentos seja individual ou em grupo.

 

Atualmente existem diversas leis estaduais, municipais e associações de doulas espalhadas pelo país fortalecendo e apoiando nosso trabalho. As doulas vêm encontrando seu espaço e a procura pelo serviço aumenta diariamente.

 

E POR QUÊ SER DOULA?

 

Ser doula tem seus desafios, requer muita dedicação, resiliência, muitas horas de estudos, se manter atualizada, ter uma mente positiva, carregada na empatia, na humildade, com integridade e sabedoria para valorizar o próprio trabalho.

Dicas práticas:

  • Gostar dos temas relacionados à gestação, parto e puerpério e estudá-los sempre;
  • Disposição para ficar horas, dias e noites acompanhando o processo de um nascimento;
  • Estar preparada para sentir a emoção e a adrenalina ao ver mulheres no auge de suas forças e bebês nascendo;
  • Estar emocionalmente preparada para lidar com emergências e situações difíceis e desfavoráveis;
  • Gostar de contato físico e estar disposta a oferecer muitos abraços;
  • Querer apoiar mulheres e famílias nesta incrível jornada;
  • Não julgar as escolhas alheias;
  • Ter muito amor, paciência e criatividade;
  • Uma boa dose de coragem e ousadia para empreender; 
  • Sentir a vocação, aquele brilho no olhar e aquela vontade de fazer parte da mudança.

No Brasil a estimativa é de aproximadamente 8000 nascimentos por dia, só hoje 8000 mulheres poderiam estar recebendo o suporte de uma doula. 

Nem toda mulher precisa, mas toda mulher merece uma doula!

 

  1. Kennel JH, Klaus MH, Mcgrath S, Robertson S, Hinkley C. Continuous emocional support during labor in US Hospital. JAMA 1991 May; 265: 2197-201.
  2. Klaus, M.H.; Kennell, J.H.; Robertson, S.S.; Sosa, R. “Effects of Social Support during Parturition on Maternal and Infant Morbidity.” British Medical Journal 293 (1986): 585-587
  3. Hodnett ED, Gates S, Hofmeyr GJ, Sakala C. Continuous support for women during childbirth. Cochrane. Database Syst Rev. 2013. doi:10.1002/14651858.CD003766.

 

Por Juline Maronato - Professora do curso de Doula do Instituto Eleven

CADASTRE-SE AGORA!
E RECEBA AS NOVIDADES NO SEU EMAIL.
POSTS POPULARES

28/02/2021
CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE ALZHEIMER
28/01/2021
JANEIRO BRANCO
26/01/2021
O QUE É SER FOTOGRAFO
SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS

Instituto Eleven - Conheça nossos cursos profissionalizantes


Instituto Eleven é parceiro da ABED Associação Brasileira de Educação a Distância

Matriz - Centro / 41 3010.9777
Rua Dr. Faivre, 1330 - Curitiba

Sede Centro / 41 3057.7307
Rua Marechal Deodoro, 60 - Curitiba

Sede Fazenda Rio Grande /
41 3070.4727
Rua César Carelli, 274

Sede Paranaguá / 41 3722.6252
Rua Alípio dos santos (esquina com a José Gomes), Palmital

FALE CONOSCO QUANDO PREFERIR



325 WEB - Criação de Sites e Sistemas para WEB
>